Tendências da logística no Brasil para 2020

Você já parou para pensar o quão grande e importante é o setor de logística? Sem ele, nada funciona. Afinal, o nosso segmento é responsável por intermediar operações de outras áreas do mercado e, talvez por isso, a cadeia seja tão complexa e extensa. Por essa razão, se atualizar constantemente sobre as tendências da logística no Brasil e no mundo soa quase como uma questão de sobrevivência.

Além disso, sabemos que o cenário atual forma clientes cada vez mais exigentes. Eles não toleram erros e a competitividade é tão grande que, em caso de não estarem satisfeitos com seu serviço, é muito simples trocar de fornecedor. Portanto, novamente, é preciso estar atento às tendências e ter um olhar crítico para perceber quais podem trazer benefícios ao seu sistema operacional. Pensando nisso, a Maxitrans foi atrás de todas as tendências que prometem aprimorar o setor de logística em 2020. Anote!


Tendências da logística no Brasil para 2020


Entrega por Drones

Idealizada e já em fase de testes pela multinacional, a entrega por drones é uma tendência que em breve estará disponível em larga escala. Apesar de algumas empresas já utilizarem esta tecnologia para levar pizzas e outros alimentos, o delivery por drones ainda enfrenta limitações em questões de tamanho, peso, localização e condições de transporte. No entanto, em 2020, esta novidade deve estar disponível para a entrega de mais produtos e em uma maior extensão.

Dica: Já que ainda é uma ferramenta que atende melhor à itens de pequenas dimensões e pesos, muitas companhias apostam na utilização dos drones para a entrega de documentos e planilhas, principalmente de urgência, já que a entrega é bem rápida.


Rastreamento de radiofrequência

Embora o rastreamento por radiofrequência já seja comum em algumas empresas, não podemos esquecer de colocá-lo como uma das tendências da logística no Brasil para 2020.

Este sistema funciona enviando sinais de rádio e, devido a essa característica, é possível monitorar o movimento de uma frota em locais fechados, como túneis e subsolos. Além disso, ao contrário do rastreamento por satélite, os sinais de rádio não sofrem interferência dos inibidores de sinal. Desta forma, ocorrem menos oscilações e o gerente de frota pode ter uma boa noção de todo o sistema.


IoT

Você já ouviu falar sobre o termo IoT? Ele significa “Internet das Coisas” (Internet of Things) e, ao contrário da internet comum, que conecta pessoas, a IoT opera apenas entre dispositivos e sensores inteligentes.

Ao conectar dispositivos e máquinas a sistemas de gerenciamento centralizado, a IoT atua trocando dados entre equipamentos e sistemas operacionais, o que pode facilitar, por exemplo, o controle de entregas e a gestão na logística.

Pra você ter uma noção da dimensão dessa tendência, mundialmente, esses aparatos já estão na casa dos bilhões. Por isso, ela é uma grande aposta e vale a pena se atentar!


Inteligência artificial

Certamente você já deve ter ouvido falar sobre Inteligência Artificial (AI, na sigla em inglês) e no quanto os robôs já foram e continuam sendo testados. O objetivo desses estudos é encontrar uma maneira de recriar a capacidade de raciocínio humano para que os sistemas sejam capazes de tomar decisões assertivas e analisar dados.

Além disso, eles podem trabalhar com uma quantidade muito mais extensa de informações, pois usam um software de gerenciamento avançado. Logo, a AI é uma das maiores tendências da logística no Brasil e no mundo, já que possibilita controlar e gerenciar a cadeia de suprimentos de maneira rápida, eficiente e sistêmica.


Portos inteligentes

Para descongestionar os pátios e pontos de conexão de modais, uma das tendências para o mercado de logística são os portos inteligentes, que visam automatizar processos e torná-los mais fluídos e ágeis.

Atualmente, já temos como exemplo o primeiro terminal automatizado de contêineres em Roterdã, na Holanda, que funciona há 25 anos desta maneira. O que se espera é que a tecnologia se estenda por outros portos e traga efeitos positivos em termos de produtividade, eficiência e segurança.


Logística compartilhada

No Brasil, a prática ainda não é muito comum, mas é exatamente por essa razão que ela entra na nossa lista de tendências para o próximo ano. A ideia básica da logística compartilhada é reunir empresas que tenham interesses em comum e criar mecanismos que viabilizem o compartilhamento de serviços, como espaços em armazéns ou transportes.

Hoje, a ação mais executada na logística compartilhada é a utilização otimizada de caminhões, pela qual as empresas extraem o potencial máximo dos veículos, aumentando a eficiência e reduzindo os custos.


Sustentabilidade

A regulamentação de 2020 da Organização Marítima Internacional (IMO) definiu que os combustíveis devem ter um novo limite de 0,5% de teor de enxofre (atualmente a concentração é de  3,5%). Essa mudança afetará os setores de combustível e transporte marítimo, impactando assim, todo o segmento de logística. Os regulamentos entram em vigor em 1º de janeiro do ano que vem e a causa são os impactos ambientais.

Esse, na verdade, é apenas um exemplo prático de como a preocupação com a sustentabilidade afeta diretamente todos os setores do mercado e, a tendência é que isso aumente, já que o planeta sofre ano após ano com a interferência humana.

Outro aspecto é a logística verde, que representa a integração das operações de logística com ações ecologicamente corretas.

Comente!